Pages

INSTRUMENTOS MORTAIS: CAÇADORES DE DEMÔNIOS QUE NÃO ACREDITAM EM DEUS

Magos, bruxas, vampiros, lobisomens, anjos e demônios. Com certeza ao longo dos últimos 20 anos você viu algum filme ou seriado que tratasse desses assuntos. A série Sobrenatural mostra os irmãos Winchester lidando com todo tipo de coisa do mundo espiritual e atrai milhões de telespectadores há sete anos consecutivos.
O maior sucesso da literatura recente são os livros da série Harry Potter, que tornou-se uma franquia de filmes altamente rentável. A saga Crepúsculo veio logo em seguida, igualmente bem-sucedida. Outros livros que viraram filmes e tratam de assuntos sobrenaturais surgiram depois, embora alguns não atraíram muita atenção.
Mas este final de semana estreou no Brasil, a primeira parte da série “Instrumentos Mortais”. Com o nome de Cidade dos Ossos, o longa de duas horas é uma adaptação do livro que consagrou a escritora norte-americana Cassandra Clare. Lançado originalmente em 2007, a continuação veio nos outros volumes: Cidade das Cinzas, Cidade de Vidro, Cidade dos Anjos Caídos, Cidade das Almas Perdidas e Cidade do Fogo Celeste.
A trama fala sobre a adolescente Clary Fray, que cruza caminho de Jace, membro de um grupo de seres com poderes especiais chamados de Shadowhunters [Caçadores de Sombras].  Eles seriam os nefilins mencionados na Bíblia, parte anjo, parte humano. A mãe faz parte desse grupo e Clary herdou essa capacidade de “ver o mundo espiritual” e se torna uma caçadora de demônios.
Depois do desaparecimento de sua mãe, seu primeiro embate é com o demônio Ravener e mata a criatura usando o Sensor, um aparelho que descobre se há demônios na área. Acaba se refugiando na antiga catedral gótica em Nova York, chamada de “O Instituto”. O local não pode ser visto pelos seres humanos comuns, chamados de “mundanos”.  Ela recebe um tipo de treinamento de Hodge Starkweather, o tutor de Jace.
A partir dai vão surgindo em cena um monge com poderes mágicos, membro de um grupo chamado “Irmão do Silêncio”, além de fadas, vampiros e lobisomens.   Há muitas cenas de ação, elementos de romance hetero e homossexual e, claro, muitos segredos revelados sobre o mundo espiritual e invisível que nos cerca.
Jace (interpretada por Jamie Campbell Bower), e seus amigos Simon (Robert Sheehan) Alec (Keven Zegers) e Isabelle (Jemima West), além e espadas, usam símbolos ocultistas, cartas de tarô e runas místicas. Em certo momento há uma declaração ateísta, onde a existência de Deus é questionada por que o mundo está infestado de demônios, mas Ele não faz nada para impedir isso.
O site cristão Movie Guide faz a seguinte avaliação: “O perigo de produções como Os Instrumentos Mortais é apresentar uma visão de mundo cheia de ocultismo e pagãs misturado com elementos presentes na narrativa bíblica. Isso é perigoso para os jovens ​​que podem ver nos personagens um modelo para quem deseja combater o mal do mundo procurando e destruindo demônios.  O maior perigo de misturar as “boas” intenções com a ausência clara do que é o mal é gerar um interesse pelo oculto sem atentar que isso pode ser uma verdadeira armadilha espiritual . Recomenda-se extrema cautela aos pais cristãos cujos filhos queiram ver o filme e ler os livros”. Com informações de Movie Guie e Christian Answers.
Assista:

FONTE

Este artigo é: