Pages

TÚNEL DE 1.800 ANOS DESCOBERTO JUNTO A PORTA DE JAFFA EM JERUSALÉM

 

Autor: Diretor do Cafetorah em 19/02/2010 - 16:44.
A Cidade Santa, Jerusalém, continua a surpreender arqueólogos, historiadores e curiosos, um túnel de 1.800 anos de um aqueduto superior em Jerusalém foi exposto em direção ao Portão de Jaffa na Cidade Velha.

Um belo aqueduto, com cerca de 1 metro e meio de altura e construído com grandes pedras, ele foi localizado quase dois milênios em direção a um dos mais conhecidos e viajados lugares em Jerusalém - abaixo da estrada que leva desde a Porta de Jaffa Gate para a Cidadela de David e as lojas na rua David.

O Aqueduto Superior de Jerusalém, que data do século II, foi descoberto nas escavações que a Autoridade de Antiguidades de Israel está realizando na região, com recursos fornecidos pela Autoridade de Desenvolvimento de Jerusalém com a finalidade de substituir a infra-estrutura na região.

Segundo as palavras do Dr. Ofer Sion, diretor da escavação, em nome da Autoridade de Antiguidades de Israel, "O lado do aqueduto foi descoberto durante a escavação. Quando nós removemos as pedras no seu lado e vimos um aqueduto construído esplendidamente coberto com lajes de pedra onde se pode andar agachado em uma distância de aproximadamente 40 metros. É muito emocionante pensar que ninguém pôs os pés lá por centenas de anos". 


De acordo com o Sion, "O notável estudioso da Terra de Israel, o Dr. Conrad Schick, teria descrito uma seção específica do aqueduto em uma pesquisa que realizou no final do século XIX. Em 1898, um edifício foi construído nesta área que mais tarde se tornou o que conhecemos hoje como o Hotel Imperial. A documentação de Dr. Schick forneceu-nos a pista que levou a expor o Aqueduto ".

O aqueduto é cerca de 60 centímetros de largura e 1,5 metros de altura. Poços foram expostos em intervalos de quinze metros, o que permitiu que os moradores antigos pudecem verificar o estado do aqueduto que estava no nível da superfície naqueles dias.

Até o final do período do Segundo Templo, no século I AC, o abastecimento de água de Jerusalém foi derivado da fonte de Gião(Gihon), no entanto, como o número de residentes aumentaram de forma constante, os recursos de água da cidade tornaram-se escassos. A escassez de água foi o principal fator que levou à construção de obras hidráulicas magníficas em Jerusalém durante o reinado de Herodes.

Engenharia de Gravidade foi muito sofisticada e empregada para levar água à cidade desde as nascentes localizadas nas Colinas de Hebrom, que foram suficientemente para transportar a água através de aquedutos para abastecer a cidade de Jerusalém. A água era trazida por dezenas de quilômetros até Jerusalém, até que chegou nas Piscinas de Salomão e dalí era distribuída de lá por dois aquedutos principais: o Aqueduto Inferior e Aqueduto Superior. 

O Aqueduto Superior transportada água para a parte alta da cidade onde estava o palácio do Rei Herodes, que estava localizado onde hoje está a Torre de Davi. O Aqueduto Interior foi construído por Ezequias já havia sido localizado, sendo esta última a principal fonte de água para todos aqueles que chegam na cidade. O Aqueduto Inferior levava água ao Monte do Templo e para o Templo.

Segundo o Dr. Sion, "Agora podemos datar a seção do aqueduto que foi exposto no século II DC, no período da cidade pagã de Jerusalém, Aelia Capitolina, que foi construído sobre as ruínas de Jerusalém, após a revolta Bar Kochba em 135 DC.

Presumivelmente, no entanto, o aqueduto foi construído nos dias de Herodes, como sabemos de outros lugares ao longo de seu percurso, especialmente na área de Bethlehem. A pesquisa arqueológica tem mostrado que o comprimento total do aqueduto, que começa nas Piscinas de Salomão, é de cerca de 13 km.

Crédito fotográfico: Assaf Peretz, cortesia da Autoridade de Antiguidades de Israel.

Este artigo é: