Pages

DEUS É INFINITO? QUE APARÊNCIA TEM DEUS?



A natureza infinita de Deus significa simplesmente que Deus existe aparte de, e não é limitado pelo tempo ou espaço. Infinito significa simplesmente "sem limites". Quando nos referimos a Deus como "infinito", geralmente usamos termos como onisciência, onipotência, onipresença para referir-nos a Ele.


A onisciência significa que Deus é onisciente, ou seja, Ele tem conhecimento ilimitado. Seu conhecimento infinito é o que o qualifica como governante e juiz soberano sobre todas as coisas. Deus não apenas sabe de tudo que acontecerá, mas também de todas as coisas que poderiam ter acontecido. Nada pega Deus de surpresa, e ninguém pode esconder o pecado dEle. Há muitos versículos na Bíblia onde Deus revela esse aspecto de Sua natureza. Um deles é 1 João 3:20: "... Deus é maior do que o nosso coração e sabe todas as coisas."


A onipotência significa que Deus é todo-poderoso, ou seja, Ele tem poder ilimitado. Ter todo o poder é importante porque estabelece a capacidade de Deus de realizar a Sua vontade soberana. Porque Deus é onipotente e tem poder infinito, nada pode impedir que a Sua vontade decretada venha a acontecer, e nada pode deter ou atrapalhar Seus propósitos divinos de serem cumpridos.

Há muitos versículos na Bíblia em que Deus revela esse aspecto de Sua natureza. Um deles é Salmo 115:3: "O nosso Deus está nos céus, e pode fazer tudo o que lhe agrada." Ou, ao responder à pergunta dos discípulos: "Neste caso, quem pode ser salvo?" (Mateus 19:25), Jesus diz: "Para o homem é impossível, mas para Deus todas as coisas são possíveis" (Mateus 19:26).


A onipresença significa que Deus está sempre presente. Não há nenhum lugar onde se possa ir para escapar da presença de Deus. Deus não é limitado pelo tempo ou espaço. Ele está presente em cada ponto do tempo e espaço. A presença infinita de Deus é importante porque estabelece que Deus é eterno. Deus sempre existiu e sempre existirá. Antes do início dos tempos, Deus já era. Antes que o mundo ou até mesmo a matéria em si tivesse sido criada, Deus já era.

Ele não tem começo nem fim, e nunca houve um tempo quando Ele não existia, nem haverá um tempo em que deixará de existir. Novamente, muitos versículos na Bíblia nos revelam este aspecto da natureza de Deus, e um deles é o Salmo 139:7-10: "Para onde poderia eu escapar do teu Espírito? Para onde poderia fugir da tua presença? Se eu subir aos céus, lá estás; se eu fizer a minha cama na sepultura, também lá estás. Se eu subir com as asas da alvorada e morar na extremidade do mar, mesmo ali a tua mão direita me guiará e me susterá."

Porque Deus é infinito, também se diz que Ele é transcendente, ou seja, Deus vai muito além da Sua criação e é tanto maior do que a criação quanto independente dela. O que isto significa é que Deus vai muito além de nossa capacidade de compreender plenamente que, se não tivesse revelado a Si mesmo, não poderíamos saber ou entender como Ele é. Entretanto, felizmente, Deus não nos deixou ignorantes sobre Si mesmo.

Em vez disso, revelou-se a nós através da revelação geral (criação e nossa consciência) e da revelação especial (a Palavra escrita de Deus, a Bíblia, e a Palavra viva de Deus, Jesus Cristo). Portanto, podemos conhecer a Deus, e podemos saber como nos reconciliar com Ele e como viver segundo a Sua vontade. Apesar de sermos finitos e de Deus ser infinito, podemos conhecer e compreendê-lo assim como Se revelou a nós.

Deus é espírito (João 4:24), portanto, Sua aparência não se parece com nada que possamos descrever. Êxodo 33:20 nos diz: "Não poderás ver a minha face, porquanto homem nenhum verá a minha face, e viverá." Como seres humanos pecadores, somos incapazes de ver Deus em toda a Sua glória. Sua aparência é totalmente inimaginável e muito gloriosa para ser seguramente percebida pelo homem pecador.

Em várias ocasiões, a Bíblia descreve a aparência de Deus como sendo semelhante a de um homem. Estes casos não devem ser entendidos como descrevendo exatamente a aparência de Deus, mas sim como Deus se revelando a nós de uma forma que possamos compreender. A aparência de Deus vai além da nossa capacidade de compreender e descrever. Deus nos dá vislumbres de Sua aparência para nos ensinar verdades sobre Si próprio, não necessariamente para que possamos ter uma imagem dEle em nossas mentes. Duas passagens que poderosamente descrevem a aparência surpreendente de Deus são Ezequiel 1:26-28 e Apocalipse 1:14-16.

Ezequiel 1:26-28 declara: “E por cima do firmamento, que estava por cima das suas cabeças, havia algo semelhante a um trono que parecia de pedra de safira; e sobre esta espécie de trono havia uma figura semelhante à de um homem, na parte de cima, sobre ele. E vi-a como a cor de âmbar, como a aparência do fogo pelo interior dele ao redor, desde o aspecto dos seus lombos, e daí para cima; e, desde o aspecto dos seus lombos e daí para baixo, vi como a semelhança de fogo, e um resplendor ao redor dele. 

Como o aspecto do arco que aparece na nuvem no dia da chuva, assim era o aspecto do resplendor em redor.” Apocalipse 1:14-16 proclama: “E a sua cabeça e cabelos eram brancos como lã branca, como a neve, e os seus olhos como chama de fogo; e os seus pés, semelhantes a latão reluzente, como se tivessem sido refinados numa fornalha, e a sua voz como a voz de muitas águas. E ele tinha na sua destra sete estrelas; e da sua boca saía uma aguda espada de dois fios; e o seu rosto era como o sol, quando na sua força resplandece.”

Essas passagens representam as melhores tentativas de Ezequiel e João para descrever a aparência de Deus. Eles tiveram que usar uma linguagem simbólica para descrever aquilo para o qual a linguagem humana não tem palavras, ou seja, "semelhante","como a aparência", "como o aspecto", etc. Sabemos que quando estivermos no céu "assim como é o veremos" (1 João 3:2). O pecado não mais existirá, e seremos capazes de perceber Deus em toda a Sua glória.

Este artigo é: