Pages

OS ANIMAIS OBEDECEM AO PODER DE DEUS E OS HOMENS?

Deus preparou um grande peixe para engolir o profeta (Jonas) que foi lançado ao mar e quando o Senhor falou ao peixe o peixe vomitou Jonas na praia.
Durante alguns dias pus-me a pensar no grande poder de Deus e em sua capacidade de ser entendido pelos animais que criou e obedecido em Seus comandos.

Procurei na Bíblia e fui descobrindo diversas outras ocasiões em que casos semelhantes aconteceram na história, a começar o momento em que Deus ordenou que todos os animais que criara se apresentassem a Adão para que ele desse nome a cada um deles (Gn 2.19)

O segundo momento foi quando Deus escolheu sete casais de animais limpos e um casal de animais impuros para que se apresentassem a Noé para serem salvos da destruição do diluvio (Gn 6.20). O terceiro momento foi aquele em que Deus ordenou que as codornizes se ajuntassem para que fosse impulsionada por um forte vento e levadas para o acampamento israelita que estava no deserto onde um grande grupo de pessoas reclamava por falta de carne (Nm 11.31,32)

Ainda no livro de Números encontramos o episódio em que Deus abre a boca da burra de Balaão para que falasse e assim refreasse a insensatez do profeta (Nm 22.23-30). Descobri ainda na Bíblia Sagrada outro momento em que Deus deu a direção a animais para executar a sua vontade, que foi o episódio da arca da aliança que fora tomada pelos filisteus quando venceram os israelitas na época do sacerdote Eli. 

Deus ferira os filisteus por causa da presença da arca em suas terras e os filisteus a devolveram para o território israelita. O carro de bois levados por duas vacas sem condutor dirigiu-se exatamente para a cidade que deveria ir (1 Sm 6.7-12). Ainda no livro de primeiro Reis é encontrado outro momento em que Deus deu ordens aos animais (aves) e eles O obedeceram. 

Foi no episódio em que o profeta Elias fora mandado por Deus para um determinando local e ali ele foi alimentado por aves de rapina que lhe levaram pão e carne pela manhã e a tarde. O texto sagrado nos diz que Deus ordenou aos corvos que fizesse isso. (1 Rs 17.4-6). Outro momento relatado pela Bíblia em que animais obedeceram à voz de Deus foi quando o Senhor ordenou aos cães que comessem a carne da ímpia Jezabel e lambessem o sangue de seu marido Acabe (1 Rs 22.19,23,38).

No Novo Testamento encontramos também episódios semelhantes aos citados acima que foram extraídos do Antigo Testamento, como o episódio da pesca maravilhosa que Pedro e seu sócios de pescaria fizeram quando passaram a noite toda pescando e nada pegaram. Obedecendo ao comando do Senhor Jesus que ordenara a eles que lançassem a rede e pescassem. De uma maneira misteriosa o Senhor ordenou que centenas de peixes estivessem naquele local onde a rede seria lançada (Lc 5.4-9)

O outro momento no Novo Testamento foi quando Deus ordenou que um peixe engolisse uma moeda de quatro dracmas que provavelmente fora perdida por um pescador e que esse peixe estivesse ao alcance do anzol de Pedro que fora lançado ao mar para pescar sob a orientação de Jesus. Essa moeda iria servir para uma emergência que era o pagamento do tributo instituído pelo império romano (Mt 17.27)

O Novo Testamento nos mostra outro momento quando Deus destina um animal, no caso um galo, para cumprir um propósito seu, foi justamente naquele momento difícil de sua vida quando ele revelou que o pastor seria ferido e as ovelhas seriam dispersas e Pedro disse que se todos o abandonassem ele jamais faria isso, inclusive disse que se preciso fosse daria sua vida pela causa do Mestre. Jesus disse para ele que antes que o galo cantasse duas vezes Pedro o negaria três vezes, o que de fato aconteceu (Mc 14.30,72)

O outro momento no Novo Testamento onde encontramos essa capacidade de Deus se comunicar com animais e ordena-los para um propósito seu, foi quando Jesus ressurreto ordenou que os apóstolos lançassem a rede, isso depois de uma noite frustrada em termos de pescaria. Na sua providência o Senhor ordenou que uma grande porção de peixe se aglomerasse do lado direito do barco para que fossem pescados. (Jo 21.3-6).

Amados irmãos nós sabemos que os animais vivem por instinto, conforme feitos por Deus. Eles não têm inteligência como nós seres humanos temos. Mas de uma maneira misteriosas eles entendem a voz de Deus e as obedecem conforme explicitado acima. Todos esses episódios demonstram o grande poder de Deus bem como a sua capacidade de interagir com a sua criação para fazer aquilo que é de sua vontade. Deus ordena e ela obedece sem questionar a ordem do Todo Poderoso.
O ser humano foi feito a imagem e semelhança de Deus. Diferentemente dos animais ditos irracionais, ou seja, que não usam da razão para sobreviver porque não as têm, os seres humanos foram dotados de inteligência, vontade e emoções. Essas faculdades da alma possibilitam ao homem se comunicar com Deus e Deus com eles. Com o advento do pecado o homem foi destituído da glória de Deus, ou seja, perdeu a capacidade original de ter comunhão com o Deus que lhe criara. Em Cristo essa capacidade lhe está sendo restituída.
Tratando-se do homem obedecer à voz de Deus, a exemplo dos animais, vai depender de sua vontade em fazer isso, ou do seu livre arbítrio. Nesse relacionamento de Deus com o homem, obedecer as ordens divinas, Deus quer que o homem a faça de livre e espontânea vontade, pois o homem não vive pelos instintos, apesar de os ter também. O grandioso da vida do homem é ele humildemente ouvir a voz do Senhor seu Deus e obedecê-la em tudo.
Uma das ordens de Deus que todos devem obedecer, pois ela tem implicação eterna é a ordem para que o homem se reconcilie com Deus através de Cristo. “… somos embaixadores da parte de Cristo, como se Deus por nós rogasse. Rogamos-vos, pois, da parte de Cristo que vos reconcilieis com Deus” 2 Co 5:20
A segunda ordem que deve ser levada em consideração é que o homem reconciliado viva uma vida de obediência aos demais mandamentos que o Senhor determinou como um padrão de vida, para que Deus seja glorificado por eles. Outra ordem que deve ser obedecida por aqueles que professam a fé em Cristo é a ordem que manda que todos se engajem na obra do Senhor através da Igreja local. 
Essa obra tem uma dimensão que engloba quatro partes, a saber: tributar cultos a Deus (adoração), promover a edificação espiritual dos crentes através do ministério da Palavra (edificação), proclamar o evangelho de Cristo (proclamação), e cuidar dos crentes necessitados (beneficência).
Amados irmãos, se os animais, que não tem o privilégio e a capacidade dados por Deus ao homem, obedecem ao Seu comando porque nós que fomos criados para a glória de Deus, feitos conforme a sua imagem e semelhança, não fazemos isso?

Esse breve artigo deve nos levar a essa reflexão, pois somos aos olhos de Deus muito mais preciosos do que os outros seres que foram criados. Nada se compara na criação ao ser humano. Ele é o único feito a imagem e semelhança de Deus e é objeto do programa redentor de Deus através de Jesus Cristo.

Pense nisso!


Este artigo é: