Pages

A GRITANTE SABEDORIA DO SILÊNCIO DE DIVINO

 
Você clama a Deus incessantemente, mas parece que todas as suas orações são como chamadas telefônicas não atendidas, bastando tão somente ouvir de um anjo àquela clássica mensagem eletrônica encaminhando-te para a caixa postal. Por quê?


Por que o Senhor simplesmente silencia? Você realmente sabe ou acha que sabe?
Se formos buscar na Bíblia, o que não faltarão são histórias como exemplos do já famoso silêncio de Deus. Algo que simplesmente balança nossa fé e até mesmo nossas forças, sejam elas físicas, emocionais, psicológicas e principalmente espirituais. Os efeitos de tal silêncio são notórios e indiscutíveis, mas… E o motivo? Você realmente sabe?
A resposta para essa tão polêmica questão eu ouvi de um pregador, anos atrás, e nunca mais esqueci. Não estou querendo dizer que ela seja A Verdade, afinal, ninguém é dono absoluto da verdade senão o próprio Deus, no entanto, posso dizer que é uma teoria muito convincente. E ela começa justamente em um versículo bastante peculiar no meio cristão:
“Deus não é homem, para que minta; nem filho do homem, para que se arrependa.” (Números 23.19a)
Sim, você conhece esta passagem e o significado dela – o que é bem óbvio. Deus não mente, jamais, e nunca mentirá. Mentira é algo que simplesmente não combina com a sua “persona”. O seu próprio filho, Jesus, já se intitulou como a personificação da mais pura verdade: “Eu sou o caminho, a verdade, e a vida…” (João 14.6) Logo, se Ele disser alguma coisa, qualquer que seja, é verdade! Não há meio termos e tão pouco, exceções. E essa “metodologia” se aplica, principalmente, no que tange às suas promessas!
Abraão e o seu sonho de ser pai, no que Deus lhe pareceu “demorar” a cumprir Sua promessa e com isso, angustiou o coitado do velhinho. Porém, se formos analisar a história do grande Patriarca, vemos que pelo menos umas três vezes o Todo-Poderoso confirma a sua palavra na vida do seu servo, e no final das contas, não ficou mesmo só nas palavras. “Demorou” aos olhos de Abraão? Sim, demorou, mas aconteceu. Porque Deus disse que iria fazer, e assim Ele o fez.
A teoria que aprendi e gostaria de compartilhar caso ainda não saibam, é bem simples e até ficou intrínseca no que acabamos de dissertar anteriormente. Deus não é do tipo que sai falando pelos cotovelos como muitas pessoas fazem. Ele não costuma jogar conversa fora. Não bate “papos-furados”. Sim, o Senhor às vezes “demora” para falar, ENTRETANTO, quando Ele fala… Ele cumpre! Porque Ele sempre fala no momento certo, e concretiza suas palavras no momento mais apropriado.
Um excelentíssimo exemplo disso, mais uma vez, vem do Seu filho. Jesus enquanto passava por toda a fase da crucificação, principalmente quando estava sendo terrivelmente chicoteado, não pronunciou uma palavrinha sequer (o que até mesmo era profético, segundo Isaías 53.7). Entretanto, lá no alto, ao “fim” de sua vida, bradou: ESTÁ CONSUMADO!
Para quem realmente ainda não entendeu, a mensagem é clara, direta e profunda: Sim, Deus mantém-se em silêncio muitas das vezes, contudo, pode ter certeza que quando Ele abrir a boca para falar, é para decretar na sua vida que tudo está consumado! Resolvido! A dívida foi paga! Aquilo que Ele prometeu já está se cumprindo! E a sua vitória… Já chegou!
Amém!

Este artigo é: