Pages

EVANGELHO DE MATEUS: SERMÃO DO MONTE


Sermão do Monte


Nos cap 5-7 do Evangelho de Mateus, temos o que é comumente chamado de o Sermão do Monte.
Contém a revelação dos princípios divinos da justiça, segundo os quais todos os cristãos devem viver pela fé no FIlho de Deus (Gl 2:20), e mediante o poder do Espírito que neles habita (cf. Rm 8:2-14; Gl 5:16-22). 


No Sermão da Montanha, o evangelista Mateus está a apresentar Jesus Cristo como o novo Moisés, daí o discurso ser proferido numa montanha (certamente, apenas uma colina), porque Moisés tinha recebido os 10 Mandamentos na montanha do Sinai. Mas, Jesus não veio para abolir a Lei ou os Profetas,[1] mas sim levá-los à perfeição na sua íntegra (Mt 5, 17).

Todos nós, que pertencemos ao reino de Deus, devemos ter uma intensa fome e sede de justiça de que trata este sermão de Cristo.


5:3 Bem-Aventurados os pobres de espírito.
A palavra ''bem-aventurados'' refere-se ao estado abençoado daqueles que, por seu relacionamento com Cristo e sua Palavra, receberam de Deus o amor, o cuidado, a salvação e sua presença diária. Há certas condições necessárias para recebermos as bênçãos do reino de Deus. Para recebê-las, devemos viver segundo os padrões revelados por Deus nas Escrituras, e nunca pelos do mundo. A primeira destas condições é ser ''pobre de espírito'', o que significa reconhecermos que não temos qualquer auto-suficiência espiritual; que dependemos da vida do Espírito; do  poder e graça divinos para podermos herdar o reino de Deus.


5:4 Os que choram 
Aqui, ''chorar'' é contristar-se profundamente por causa das nossas próprias fraquezas quando nos medimos como padrão divino de justiça (v.6; 6:33). É também sentirmos pesar por aquilo que entristece a Deus. E ter nossos sentimentos em sintonia com os sentimentos de Deus. É sentir aflição em nosso espírito por causa do pecado, da imoralidade e da crueldade prevalecentes no mundo (Lc 19:41; At 20:19; 2 Pe 2:8)


5:5 Os Mansos
Os ''mansos'' são os humildes e submissos diante de Deus. Acham nEle o seu refúgio e lhe consagram todo o seu ser. Preocupam-se mais com a obra de Deus e o povo de Deus do que com aquilo que lhes possa acontecer pessoalmente (cf. Sl 37:11). Os mansos, e não os violentos, herdarão por fim a terra.


5:6 Fome e sede de justiça
Esté é um dos versículos mais importantes do Sermão do Monte


1) A condição fundamental para uma vida santa em todos os aspectos é ter ''fome e sede de justiça'' (cf. 6:33). Tal fome é vista em Moisés (Êx 33:13,18), em Davi (Sl 42:1-2; 63: 1-2) e no apóstolo Paulo (Fp 3:8-10). O estado espiritual do cristão durante toda a sua vida dependerá da sua fome e sede da presença de Deus (Dt 4:29), da Palavra de Deus (Sl 119), da comunhão com Cristo (Fp 3:8-10), da justiça (5.6) e da volta do Senhor (2Tm 4:8).


2) A fome que o cristão tem das coisas de Deus pode ser destruída pelas preocupações deste mundo, pelo engano das riquezas (13:22), pela amição pelas coisas materiais (Mc 4:19), pelos prazeres do mundo (Lc 8:14) e por deixar de permanecer em Cristo (Jo 15:4). Quando a fome de Deus cessa no crente, este morre espiritualmente (Rm 5:21). É então indispensável que sejamos insensíveis ao Espírito Santo ao convencer-nos do pecado (Jo 16:8-13; Rm 8:5-16). Aqueles que sinceramente têm fome e sede de justiça ''serão fartos ou saciados''.


5:7 Os Misericordiosos
Os ''misericordiosos'' estão cheios de compaixão e dó para com os que sofrem por causa do pecado ou aflições. Os misericordiosos desejam minorar os sofrimentos, conduzindo os sofredores à graça de Deus por meio de Jesus Cristo (cf. 18:33-35; Lc 10:30-37; Hb 2:17). Sendo misericordiosos para com os outros, eles ''alcançarão misericórdia''.


5:8 Os limpos de coração
Os ''limpos de coração'' são os que foram libertos do poder do pecado mediante a graça de Deus, e que agora se esforçam sem dolo para agradar e glorificar a Deus e serem parecido com Ele.


1) Procuram ter a mesma atitude interior que Deus tem - amor à justiça e ódio ao mal (Hb 1:9). Seu coração[ que inclui a mente, a vontade e as emoções] está em harmonia com o coração de Deus (1 Sm 13:14; Mt 22:37; 1Tm 1:5).


2) Somente os limpos de coração ''verão a Deus''. Ver a Deus significa ser filho e habitar na sua presença, tanto agora como no seu reino futuro (Êx 33:11; Ap 21:7; 22:4).


5:9 Os Pacificadores
Os ''pacificadores'' são aqueles que se reconciliaram com Deus. Têm a paz com Ele mediante a cruz (Rm 5:1; Ef 2:14-16). E agora se esforçam, mediante seu testemunho e sua vida, para levarem outras pessoas, inclusive sues inimigos, à paz com Deus.


5:10 Perseguidos por causa da justiça
Todos que procuram viver de acordo com a Palavra de Deus, por amor à justiça sofrerão perseguição. 


1) Aqueles que conservam os padrões divinos da verdade, da justiça e da pureza e que, ao mesmo tempo, se recusam a transigir com a presente sociedade pecaminosa e com o modo de vida dos crentes mornos (Ap 2; 3:1-4; 14-22) sofrerão impopularidade, rejeição e críticas. O mundo lhes moverá perseguição e oposição (10:22; 24:9: Jo 15:19) e, às vezes, da parte de membros da igreja professa (At 20:28-21; 2 Co 11:3-15; 2 Tm 1:15; 3:8-14; 4:16). Ao experimentar tal sofrimento, o cristão deve regozijar-se (5:12), porque Deus outorga a maior bênção àqueles que sofrem mais (2 Co 1:5; 2 Tm 2:12; 1 Pe 1:7; 4:13).


2) O cristão deve precaver-se da tentação de transigir quanto à vontade de Deus, a fim de evitar a vergonha, a ridicularização, o constrangimento, ou algum prejuízo (10:33; Mc 8:38; Lc 9:26; 2 Tm 2:12). Os princípios do reino de Deus nunca mudam: ''Todos os que piamente querem viver em Cristo Jesus padecerão perseguições'' (2 Tm 3:12). A promessa aos que enfrentam e suportam perseguições por causa da justiça é que dos tais é o reino dos céus.


Este artigo é: