Pages

A PEDRA ANGULAR



1 Pedro 2:6 - Por isso também na Escritura se contém: Eis que ponho em Sião a pedra principal da esquina, eleita e preciosa; E quem nela crer não será confundido.


Esta é uma foto que mostra uma das pedras usadas na fundação do Templo de Salomão, mas não é uma pedra comum. Segundo o guia que nos acompanhou nesse tour, esta é a terceira maior pedra usada em construção civil e tem 13,6 metros de comprimento, pelo menos 3,5 metros de largura e pesa um pouco mais de 500 toneladas.


Há uma grande variedade de pedras mencionadas na Bíblia, muitas delas usadas com algum tipo de conotação espiritual ou em linguagem metafórica, figurativa ou ilustrativa. Em 1 Samuel 7:12 nós lemos sobre uma pedra chamada Ebenézer que foi posta entre Mizpá e Sem cujo significado é “ até aqui nos ajudou o Senhor. “ Juízes 15:8 diz que Sansão habitou na fenda da rocha de Etã. 


Êxodo 20:25 fala que as pedras usadas no altar do Senhor não podiam ser lavradas e que ferramentas não podiam tocá-las. Em 1 Reis 6:7 lemos a respeito das pedras usadas por Salomão na construção do Templo que eram lavradas na própria pedreira pois no local da construção não se ouvia o som de ferramenta feita de mental. 1 Reis 7:9-11 ainda menciona pedras de grande valor, cortadas à medida, serradas à serra por dentro e por fora; pedras finas e pedras de fundação.


Quem já foi a Jerusalém e visitou o Kótel, Muro das Lamentações, percebeu que este foi reconstruído com as pedras que haviam sido derrubadas anteriormente por isso não há uniformidade em sua aparência. É preciso descer por túneis e labirintos localizados em baixo do quarteirão Islâmico para ver uma pequena parte da fundação original. Lá se vê a pedra na foto acima, que não foi removida durante a destruição romana de 70 D.C. mencionada por Flávio Josefo talvez por causa do seu peso colossal e, permanece hoje até como testemunha desses eventos históricos.


A rocha mencionada em Êxodo 33:21 era um lugar de proteção e Isaías 48:21 citando Deuteronómio 8:15 fala da Rocha da Provisão de Deus que, saciando a sede do povo, os conduzia pelo deserto. “E não tinham sede, quando os levava pelos desertos; fez-lhes correr água da rocha; fendeu a rocha, e as águas correram.”


O Velho Testamento também apresenta o nosso Deus como “A Rocha” (Deut. 32:24), “Minha Rocha” (Salmos 144:1 e 19:14), “Rocha Eterna” (Isaías 26:4), “A Rocha de Israel” (Isaías 30:29), “A Rocha da Minha da Salvação” (Salmo 89:26), “Rocha da Minha Habitação” (Salmo 71:3), “A Rocha do Meu Refúgio” (Salmo 94:22) e dezenas de outras afirmações semelhantes a estas.


No Novo Testamento, o Senhor Jesus é comparado à Pedra que os construtores rejeitaram mas que veio a ser a principal pedra, angular, de esquina. (Sl. 118:22; Mt. 21:42; Mc12:10; Lc 20:17; 1 Pe. 2:7). Jesus disse em Mateus 16:18 que Ele é a Pedra sobre a qual sua Igreja seria edificada. Uma Pedra de Fundação inabalável como disse o apóstolo Paulo em Efésios 2:20 “Edificados sobre o fundamento dos apóstolos e dos profetas, de que Jesus Cristo é a principal pedra da esquina.”


E o Templo, antes edificado sobre rochas feitas por homens, deixaria de existir. Jesus, a “Rocha Eterna” seria o novo local de adoração, a nova morada do Altíssimo, como ele próprio disse em João 2:19-21. Paulo menciona esta verdade em Atos 17:24 quando diz que “O Deus que fez o mundo e tudo que nele há, sendo Senhor do céu e da terra, não habita em templos feitos por mãos de homens.”


Portanto, edifiquemos nossas vidas sobre esse Fundamento. Porque ninguém pode pôr outro fundamento além do que já está posto, o qual é Jesus Cristo. 1 Coríntios 3:11

Este artigo é: