Pages

OS PLANOS DA NOVA ORDEM MUNDIAL - PARTE 3

TECNOLOGIA


Antes, ele disse que sexo e reprodução seriam separados. Você faria sexo sem reprodução e, em seguida, a tecnologia seria usada para a reprodução sem sexo. Isto seria feito no laboratório. Ele indicou que já havia muita pesquisa, muito estava em curso sobre fazer bebês em laboratório. Houve alguma elaboração sobre isso, mas eu não me lembro dos detalhes. Muito da tecnologia veio à minha atenção desde aquela época. Não me lembro de uma maneira que eu consiga distinguir o que foi dito do que eu posteriormente aprendi como informação médica geral.



DIMINUIÇÃO DA IMPORTÂNCIA DA FAMÍLIA 

As famílias seriam limitadas em tamanho. Nós já aludimos à ausência de permissão para mais de dois filhos. O divórcio seria mais fácil e mais prevalente. A maioria das pessoas que se casam vão se casar mais de uma vez. Mais pessoas não irão se casar. Pessoas solteiras se hospedarão em hotéis e até mesmo viverão juntas. Isso seria muito comum - ninguém sequer fazer perguntas sobre isso. Seria amplamente aceito como não diferente de pessoas casadas de estarem juntas. 



Mais mulheres trabalharão fora de casa. Mais homens serão transferidos para outras cidades e em seus trabalhos, os homens iriam viajar mais. Portanto, seria mais difícil para as famílias ficarem juntas. Isso tende a tornar o relacionamento conjugal menos estável e, portanto, tendem a tornar as pessoas menos dispostas a ter filhos. Menos famílias extensas e mais remotas. 





Viajar seria mais fácil, menos caro, por um tempo, para que as pessoas que tivessem que viajar sentissem que poderiam voltar para suas famílias, não que eles estavam sendo abruptamente retirados de suas famílias. Mas um dos efeitos líquidos das leis de divórcio, combinados com a promoção de viagens, e as famílias, a transferência de uma cidade para outra, foi a de criar instabilidade nas famílias. 



Se ambos, marido e esposa, estão trabalhando e um parceiro é transferido, o outro não pode ser facilmente transferido. Logo, ele ou ela fica pra trás ou então larga o trabalho e assume os riscos de não encontrar emprego no novo local. De qualquer jeito, é uma abordagem diabólica para essa coisa toda!



EUTANÁSIA E A PÍLULA DA MORTE

Todo mundo tem o direito de viver só pelo tempo que for. Os velhos já não são úteis. Eles se tornam um fardo. Você deve estar pronto para aceitar a morte. A maioria das pessoas. Um limite de idade arbitrário pode ser estabelecido. Afinal, você tem direito a jantares, tantos orgasmos, e tantos prazeres bons da vida. Depois de ter tido um número suficiente deles e você não for mais produtivo, trabalhando e contribuindo, então você deve estar pronto para por-se de lado em prol da próxima geração. 

Algumas coisas ajudam as pessoas a perceberem que elas viveram o suficiente, ele mencionou vários delas. Não me lembro de todos elas, mas aqui estão algumas: o uso de tinta de impressão muito pálido sobre os formulários necessárias para as pessoas preencherem. As pessoas mais velhas não seriam capazes de ler a tinta pálida tão facilmente e precisariam da ajuda dos mais jovens. Padrões de tráfego de automóveis, não haveria mais faixas de tráfego de alta velocidade que os idosos com seus reflexos mais lentos teriam dificuldade para lidar e, portanto, perderia parte de sua independência.



LIMITANDO O ACESSO À MEDICINA

Um item grande que foi elaborado durante algum tempo foi o custo da assistência médica, que seria onerosamente alto. Assistência médica seria ligada muito de perto com o próprio trabalho, mas também teria um custo muito, muito alto, para que ele simplesmente não ficasse disponível para as pessoas além de um certo tempo. A menos que eles tenham uma família extremamente rica, apoiando, eles vão ter que ficar sem cuidado. 

E a idéia era que, se todo mundo disser: "Chega! Que fardo sobre os jovens para tentar manter as pessoas idosas ", em seguida, o jovem iria concordar em ajudar a mãe e o pai a fazer a passagem, desde que iste fosse feito de forma humana e com dignidade. Em seguida, o exemplo era - não podia ser um bom, festa de despedida, uma verdadeira celebração. Mamãe e papai tinham feito um bom trabalho. Em seguida, após a festa acabar, tomam a "pílula da morte”.

PLANEJAMENTO DE CONTROLE SOBRE A MEDICINA

O próximo tópico é Medicina. Não haveria mudanças profundas na prática da medicina. Em geral, a medicina seria muito mais bem controlada. A observação que foi feita em 1969 é que, "O Congresso não prosseguirá com o programa nacional de saúde, é agora, mais que evidente. Mas não é necessário, nós temos outras maneiras de controlar os cuidados de saúde ". Este viria de forma mais gradual, mas todo o serviço de saúde está sob controle apertado. 





Assistência médica estaria intimamente ligada ao trabalho. Se você não trabalha ou não pode trabalhar, você não terá acesso a cuidados médicos. Os dias de hospitais oferecendo atendimento gratuito, gradualmente, iriam escada abaixo, até se tornar praticamente inexistente. Os custos seriam forçados a fim de que as pessoas não fossem capazes de se dar ao luxo de ficar sem plano de saúde. 


As pessoas pagam por isso, você tem direito a ele. Foi só depois que eu comecei a perceber até que ponto você não estaria pagando por isso. O atendimento médico seria pago por outros. Portanto, você iria aceitar com gratidão, de joelhos, o que foi oferecido a você como um privilégio.


O seu papel de ser responsável pelo seu próprio cuidado seria diminuído. Como qualquer apartado aqui, isso não é algo que foi desenvolvido naquela época, eu não entendi na hora que era um aparte. A forma como isto funciona, todo mundo faz um plano de saúde, e se você não tem, então você deve pagar diretamente; o custo de seu tratamento é enorme. 



A operadora de planos de saúde, no entanto, paga pelo seu cuidado, mas não paga a mesma quantia. Se você é cobrado, digamos, US $ 600 para o uso de uma sala de operação, a operadora não paga R $ 600; ela paga apenas R $ 300 ou $ 400. Esse diferencial de faturamento tem o efeito desejado: Ele permite que a operadora pague por aquilo que você nunca poderia pagar. Eles recebem um desconto que é indisponível para você. Quando você vê a sua conta, você é grato que a operadora de saúde pode fazer isso. E desta forma você é dependente, e praticamente obrigado a ter plano de saúde.



O faturamento conjunto é fraudulento. O acesso aos hospitais seria rigidamente controlado e a identificação seria necessária para entrar no edifício. A segurança dentro e em torno dos hospitais seria estabelecida e gradualmente aumentada de forma que ninguém sem identificação possa entrar ou se movimentar dentro do edifício.



Roubo de equipamentos hospitalares, coisas como máquinas de escrever e microscópios e assim por diante seria "permitido" e exagerado; relatos de que seria exagerado para que esta fosse a desculpa necessária para estabelecer a necessidade de segurança rigorosa até que as pessoas se acostumassem a ela. 





Qualquer um que se desloque num hospital seria obrigado a usar um crachá de identificação com foto e dizendo por que ele estava lá, funcionário ou técnico de laboratório ou visitante ou o que quer. Isso é para ser levado adiante gradualmente, deixando todo mundo acostumado com a idéia de se identificar - até que foi apenas aceito. Esta necessidade de identificação para se mover iria começar em pequenas formas: hospitais, algumas empresas, mas gradualmente expandir para incluir em todos os lugares!Observou-se que os hospitais podem ser usados para confinar as pessoas e para o tratamento de criminosos. Isso não significa, necessariamente, o tratamento médico.



Naquela época eu não conhecia o termo "Psicose Prison” (Prisão Psiquiátrica), da União Soviética, mas, sem tentar recordar todos os detalhes, basicamente, ele estava descrevendo o uso de hospitais, tanto para tratar os doentes, como para o confinamento de criminosos por outras razões que o bem-estar médico do criminoso. A definição de criminoso não foi dada.



ELIMINAÇÃO DE MÉDICOS PARTICULARES

A imagem do médico iria mudar. Já não seria visto como um profissional particular em serviço para pacientes particulares. O médico viria a ser gradualmente reconhecido como um técnico altamente qualificado - e seu trabalho iria mudar. O trabalho é incluir coisas como as execuções por injeção letal. A imagem do médico ser uma pessoa, poderosa e independente teria de ser alterada. 


Ele passou a dizer: "Os médicos estão fazendo dinheiro demais. Eles devem fazer anúncios como qualquer outro produto. "Os advogados teriam que fazer publicidade também. Tenha em mente que esta era uma platéia de médicos, sendo falada por um médico. E era interessante que ele iria fazer algumas declarações bastante ofensivas para o seu público, sem medo de contrariar-nos.



O praticante solitário se tornaria uma coisa do passado. Aos poucos os die-hards (pró-vida) podem tentar resistir, mas a maioria dos médicos seriam utilizados por uma instituição de um tipo ou de outro. A prática de grupo seria incentivada, as empresas seriam incentivadas,em seguida, uma vez que a imagem corporativa da assistência médica tornou-se gradualmente mais e mais aceitável, os médicos cada vez mais tornam-se funcionários, em vez de contratantes independentes. 

Junto a isso, é claro, de forma não declarada, mas necessária, está a idéia de que o empregado que serve a seu empregador, e não ao paciente. Então, nós já vimos um monte disso nos últimos 20 anos. E, aparentemente, há mais no horizonte. O termo HMO não foi utilizado na época, mas conforme você olha para HMO você vê que este é o caminho que a assistência médica está sendo retomada, pois a abordagem do Seguro Nacional de Saúde não passa no Congresso. 

Alguns médicos obstinados podem tentar manter-se na prática individual, mantendo-se independente, mas sofreria uma grande perda de renda. Eles seriam capazes de chegar perto, talvez, mas nunca realmente conseguir viver confortavelmente como aqueles que estão dispostos a se tornar funcionários do sistema.


Em última análise, não haveria qualquer espaço para o praticante individual depois que o sistema estiver consolidado.

Continua...

Este artigo é: