Pages

SÃO OS CRISTÃOS POUPADOS DO SOFRIMENTO?


Stanley Jones disse que há duas espécies de mal: um interior, que provém da escolha da nossa vontade; este mal se chama pecado. Outro, proveniente do exterior, do meio social e da natureza; a este, chamamos sofrimento. No seu sermão profético, Jesus disse que os cristãos não são poupados do sofrimento. Consideremos, então, as fontes do sofrimento que nos atinge.

1 - Sofrimento proveniente da confusão nos princípios religiosos (Lc 21.8) - “Vede que não sejais enganados; porque muitos virão em meu nome, dizendo Sou eu! E também: Chegou a hora! Não os sigais”. Uma das marcas dessa religiosidade do tempo do fim é a confusão. Ninguém pode ser feliz com a incerteza no íntimo. Muitos correm de um lado para o outro, confusos, perdidos, atordoados espiritualmente, em busca da verdade, e não a encontram, visto que deixaram de seguir a Palavra, para atenderem à voz dos aventureiros da fé.

2 - Sofrimento proveniente de guerras e conflitos na sociedade humana (Lc 21.9) - Jesus disse: “Quando ouvirdes falar de guerras e revoluções, não vos assusteis.” A terra está bêbada de sangue, e o mundo, abalado pelas guerras. As guerras tornam-se cada vez mais sangrentas e desumanas. O mundo é um barril de pólvora. Revoluções explodem em todos os recantos do mundo. Guerras tribais e étnicas desembocam em verdadeiras carnificinas fratricidas (guerras entre compatriotas). Impérios econômicos tripudiam sobre os países mais fracos, esmagando-os implacavelmente pela truculência de seus arsenais bélicos, para alimentar sua ganância insaciável. Os horrores e os prejuízos das guerras atingem a todos, em todos os quadrantes do Planeta.


3 - Sofrimento proveniente de calamidades físicas na natureza, como terremotos (Lc 21.11) - “Haverá grandes terremotos”. Os terremotos estão abalando os pilares da terra. Cidades inteiras tremem sob a fúria incontrolável dos terremotos e vendavais. O tsunami engoliu cidades e levou milhares de pessoas à morte, sepultando-as em montanhas de lama e escombros retorcidos. O furacão Katrina assolou a boêmia cidade de Nova Orleans, nos Estados Unidos, deixando um rastro doloroso de mortes e imensos prejuízos. Os terremotos estão se multiplicando em escala surpreendente à medida que avançamos para o tempo do fim. Milhares de pessoas perecem sob os escombros de tragédias que acontecem ao redor do mundo. Os cristãos não estão imunes a essas calamidades.


4 - Sofrimento proveniente de doenças e enfermidades físicas (Lc 21.11) - “Haverá epidemias”. Equivocam-se aqueles que pregam que os cristãos são incólumes (ilesos) às enfermidades e epidemias. Não obstante crermos que Deus cura os enfermos, as enfermidades que atingem a todos os mortais alcançam também os cristãos. Epidemias devastadoras já ceifaram e ainda ceifam cristãos da mesma forma que aqueles que não conhecem a Deus. As epidemias aparecem e desafiam a ciência. Embora muitas vitórias tenham sido alcançadas no sentido de debelar essas epidemias, elas ainda avançam, trazendo sofrimento a muitos.


5 - Sofrimento proveniente de dificuldades econômicas (Lc 21.11) - “Haverá fome”. Recente estatística demonstrou que um terço da população brasileira vive abaixo da linha de pobreza. A fome é realidade dramática que ainda atinge quase a metade da população mundial. Os ricos tornam-se cada vez mais ricos, e os pobres, cada vez mais pobres. Uns esbanjam no luxo, enquanto outros padecem de fome. As riquezas da Terra concentram-se nas mãos de poucos, e a pobreza se espalha na base da pirâmide social, trazendo inquietação, desespero e fome.


6 - Sofrimento proveniente da perseguição política e social (Lc 21.12) – “Lançarão mão de vós e vos perseguirão”. O cristão incomoda o mundo. Sua integridade denuncia a sua corrupção, e sua luz desmascara as suas trevas. Todo aquele que vive piedosamente será perseguido, pois o mesmo mundo que foi hostil a Cristo será hostil a seus seguidores. É impossível pertencer a Cristo e ser amigo do mundo. Uma igreja fiel sempre será perseguida. A perseguição religiosa é uma fonte de sofrimento.


7 - Sofrimento proveniente das autoridades religiosas seculares (Lc 21.12) – “E vos perseguirão, entregando-vos às sinagogas e aos cárceres”. Esses dois tipos de tribulação – sinagoga e cárcere – representam a perseguição religiosa e secular. Muitos cristãos morreram nas catacumbas de Roma, nas fogueiras da Inquisição, nos porões escuros das prisões. Outros foram torturados e mortos por causa da sua fé. O martírio ainda é um apanágio (atributo) dos cristãos.


8 - Sofrimento proveniente da vida do lar (Lc 21.16) – “E sereis entregues até por vossos pais, irmãos, parentes e amigos”. Estas palavras se referem à traição específica ao cristão pelos membros do seu próprio lar. Muitos cristãos têm sido expulsos de casa, deserdados por seus pais e até mesmo perseguidos pelo fato de confessarem a Jesus como Senhor. Muitos cônjuges têm sido abandonados depois de sua conversão a Cristo. O cristão enfrenta sofrimento a partir da sua própria casa.


9 - Sofrimento proveniente da união com Cristo (Lc 21.17) – “De todos sereis odiados por causa do meu nome”. Simeão compreendeu que Cristo seria um sinal de contradição. A mesma multidão que aplaudiu a Cristo pediu a morte dele. A vida de Cristo e a mensagem da Cruz incomodam. Quem se rende ao senhorio de Cristo enfrenta a inimizade do mundo. Seguir a Cristo é caminhar por uma estrada de sofrimento e perseguição. Nossa convicção, entretanto, é que no final dessa estrada juncada de espinhos entraremos na glória, no céu, onde não haverá mais dor, nem pranto, nem luto.


:: Por Pr. Hernandes Dias Lopes

Este artigo é: