Pages

OLHAI PARA A FIGUEIRA

Deus fez duas promessas a Abraão acerca de seus descendentes: eles se tornariam uma grande nação e morariam na terra que Deus lhe prometeu. O povo judeu e a Terra Prometida desempenham papéis importantes na narrativa bíblica. Entretanto, existe geralmente uma grande lacuna - quase dois mil anos nos registros a respeito da Terra Prometida e dos judeus, o povo de Deus segundo a aliança, iniciando na parte final de Atos dos Apóstolos, onde ocorre uma nítida delineação entre o judaísmo e o cristianismo, até a fundação do
Estado de Israel em 1948, que marca o cumprimento de muitas profecias a respeito do reajuntamento dos judeus em Israel ( v. Ez 37.3,7-11,21-23;Mt 24.32-34).



Durante essa significativa lacuna histórica, o cristianismo cresceu e transformou-se de pequena ramificação judaica à maior religião mundial. Foi fundado também o islamismo, que se tornou uma força religiosa e política de importância. As histórias das três principais religiões monoteístas - o judaismo, o cristianismo e o islamismo - passou a se entrelaçar. A Terra prometida ficou sob domínio islâmico durante 1300 anos. Os judeus foram perseguidos durante muitos séculos principalmente (é triste dizer) em países que se consideram cristãos.


A história da Terra Santa e do povo judeu a partir do final de Atos até o presente momento demonstra a capacidade incrível de sobrevivência dos judeus (Rm 9:29), embora subsistiam de modo às vezes precário.É difícil deixar de perceber a mão de Deus em tudo isso. A história do relacionamento entre Deus e o povo de Israel não termina com do registro bíblico, mas continua até hoje. Não deveriamos nos surpreender com isso, pois Deus prometeu que restauraria os judeus no fim dos tempos.



Os judeus sonham com a construção do terceiro templo e esse sonho pode não demorar muito para tornar-se realidade, mas esse é um assunto para as próximas postagens... 




Este artigo é: