Pages

JESUS CONTRA OS PODERES DAS TREVAS


Jesus e os poderes das trevas
Ao concluirmos a série de mensagens sobre Jesus e a dimensão espiritual, onde vimos a relação de Jesus com o Pai celestial, com o Espírito Santo e com o ministério dos anjos, refletiremos hoje sobre a relação de Jesus com os poderes das trevas.
É bem verdade que estamos em uma batalha espiritual (Efésios 6.12), mas um grande erro que muitos cometem quando refletem sobre este tema é o de considerar que há uma batalha pelo controle do universo entre duas forças de igual poder, a saber, Jesus e o Diabo. A Palavra de Deus nos garante que Cristo já venceu e ainda vencerá o Diabo e seus demônios. Vemos esta vitória:
Através de seu ministério. Jesus inicia seu ministério sendo enviado pelo Espírito ao deserto para ser tentado pelo Diabo (Mateus 4.1). Através da palavra de Deus e de uma forte convicção de que ele era Filho amado de seu Pai, Jesus ordena ao Diabo que se retire de sua presença (Mateus 4.10) e este o obedeceu (Mateus 4.11). Ele curou um mudo ao expulsar dele um demônio (Mateus 9.32-34); libertou um jovem possesso (Mateus 17.18); discerniu e fez calar a voz do Diabo (Marcos 8.33); discerniu sua ação entre os que estavam com ele (João 6.70, João 13.2) e muito mais. Jesus afirmou aos discípulos que viu “Satanás caindo do céu como um relâmpago” (Lucas 10.18). No exercício de seu ministério entre as multidões e seus discípulos Jesus sempre triunfou sobre todas as manifestações das trevas que encontrou.
Através de sua morte e ressurreição. Ao olharmos para a morte de Jesus na cruz pode até parecer que ele foi derrotado. Mas mesmo em sua morte havia um propósito de vitória: “E do modo por que Moisés levantou a serpente no deserto, assim importa que o Filho do Homem seja levantado” (João 3.14). Porque Jesus morreu e ressuscitou é que temos vida (João 3.16), ele rompeu os grilhões da morte através de sua ressurreição (Atos 2.24), desceu as partes mais baixas da terra, o inferno, pregou aos prisioneiros (1 Pedro 3.19), tomou as chaves da morte e do inferno (Apocalipse 1.18) e finalmente levou cativo o cativeiro (Efésios 4.8), subindo acima de todos os céus, para cumprir tudo e estar acima de todo poder (Efésios 1.20-22).
Através de sua segunda vinda. Sabemos que o reino de Deus já está entre nós, mas ainda não completamente. Assim, Jesus já venceu o Diabo e seus demônios, mas ainda o vencerá de uma vez por todas: “Com efeito, o mistério da iniquidade já opera e aguarda somente que seja afastado aquele que agora o detém; então, será, de fato, revelado o iníquo, a quem o Senhor Jesus matará com o sopro de sua boca e o destruirá pela manifestação de sua vinda”(2 Tessaloniocenses 2.7-8). Os dias do nosso inimigo estão contados, sua sentença já está decretada (Apocalipse 20. 7-10) e a vitória de Jesus já está proclamada.
Hoje Cristo habita em nós, portanto, podemos exercer nosso ministério com a autoridade dele (Lucas 10.19), sabemos que estamos guardados nas regiões celestiais com ele (Efésios 2.6) e que viveremos eternamente com ele. Tudo isto, porque ele venceu os poderes das trevas: “E, despojando os principados e as potestades, publicamente os expôs ao desprezo, triunfando deles na cruz” (Colossenses 2.15).

Este artigo é: