Pages

CIENTISTAS DA NASA NEGAM QUE APOCALIPSE OCORRERÁ EM 2012


A ciência sabe separar fato de ficção”, afirma dirigente da Agência Espacial Americana
O início de 2012 reacendeu o debate sobre a previsão do fim do mundo, por conta de um  antigo calendário maia. Especialistas da NASA dizem que não é preciso ser um cientista para saber que o mundo não vai acabar em 2012.



A Agência Espacial informou que a antiga civilização mesoamericana seguia um calendário de 365 dias não muito diferente do nosso.
Os Maias mediam o tempo com um mini-calendário com duração de 52 anos, e uma versão maior, que chegava a 5.125 anos. Alguns acreditam que o fim do longo ciclo de contagem em 21 de dezembro de 2012 marcaria o apocalipse para maias.
“Este calendário extenso chega ao fim em 21 de dezembro”, disse Don Yeomans, gerente do  programa Near-Earth Object da NASA. ”É claro, um novo calendário teria início em 22 de dezembro. Seria como dizer que o nosso calendário termina em 31 de dezembro, e por isso é o fim dos tempos. Trata-se de novo ciclo que iria começar”.
“O fato é que a data marca o solstício de inverno, a noite mais longa do ano. Por isso muitas pessoas estão dando uma importância exagerada”, disse Yeomans.  ”Durma bem em 21 de dezembro do próximo ano”, disse Yeomans. ”Os maias nunca previu o fim do mundo ocorreu naquela época”.
Existem outras apocalípticas relacionadas com essa data. Uma dessas “profecias” tem a ver com Nibiru, um planeta desconhecido que completaria sua órbita ao redor do nosso sistema solar no mês de dezembro e reentraria na Via Láctea, espalhando destruição em massa.
O ressurgimento de tal planeta, disse ele, exerceria uma atração gravitacional extrema sobre  outros planetas, tirando-os da sua órbita normal e assim, causando sua destruição.
David Morrison, um cientista da NASA, desafiou a teoria de Nibiru em um vídeo postado no YouTube em outubro. Ele argumenta que um corpo celeste como Nibiru teria de ser visível caso fosse passar perto da Via Láctea. Não há registro disso nos satélites da NASA, o que  elimina a possibilidade de existência do planeta.
“Nibiru não existe”, disse Morrison no vídeo. ”Nós não podemos vê-lo, não podemos detectar a sua gravidade e não há registro de passagens anteriores. Não temos que nos preocupar com esta farsa.”
Para Yeomans, outras teorias apocalípticas como danos gravitacionais por um alinhamento dos planetas, tempestades solares e mudança nos pólos magnéticos da Terra estão descartados.  Esse tipo de coisa já aconteceu no passado, sem quaisquer consequências negativas.
Yeomans acrescenta que a ciência sabe separar fato de ficção. “Para todas as reivindicações de desastre ou mudanças dramáticas em 2012, as pessoas que fazem essas afirmações precisam provar o que dizem… Não há provas reais de nenhuma das afirmações feitas sobre o que deve ocorrer em dezembro de 2012.”

Este artigo é: